Desenho de uma idosa que não reconhece o rosto do cuidador, por estar embaraçado.
Fonte da imagem: https://www.roche.com

Por Andreia Sousa, Fisioterapeuta Gerontóloga.

Doença de Alzheimer é uma doença degenerativa cerebral que compromete aspectos físicos e sociais.  Ela altera algumas funções como orientação espacial, isso significa que o indivíduo tem dificuldade em se localizar no tempo e espaço, atenção, dificuldade em usar a linguagem de maneira adequada, raciocínio lógico, apresenta dificuldades em atividades diárias, sendo caracterizada principalmente por afetar a memória, o cérebro vai perdendo a capacidade de armazenar e resgatar as informações.

A Doença de Alzheimer é a mais incidente entre outras demências, representando mais de 60%.

Normalmente a Doença de Alzheimer se inicia de forma lenta e às vezes se confunde com algumas alterações geradas pelo próprio envelhecimento, por essa razão é importante conhecer mais sobre o assunto, para identificá-la o quanto antes, e iniciar os tratamentos para retardar a progressão da doença e ter mais controle dos sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e seus familiares.

Os fatores de risco são: idade, após os 65 anos, a chance dobra a cada 5 anos de desenvolver a doença; sexo feminino, por viverem mais que os homens e hereditariedade. Outros fatores referem-se ao estilo de vida, como: hipertensão, diabetes, obesidade, tabagismo e sedentarismo. Esses fatores relacionados aos hábitos são considerados modificáveis e se controlados, podem retardar o aparecimento da doença.

Não existe cura para a Doença de Alzheimer até o momento. Mas com os avanços da medicina os pacientes têm tido uma sobrevida maior e uma qualidade de vida melhor, mesmo na fase grave da doença. Existem tratamentos farmacológicos e não farmacológicos como: estimulação cognitiva, social, física e organização do ambiente.

O mais importante é contar com o apoio e a compreensão da família, amigos e pessoas próximas. E para isso, é necessário estar informado, saber o que está acontecendo, por que está acontecendo e o que pode acontecer com o avanço da doença.

Deixe uma resposta Cancelar resposta