Um idoso tem um pássaro na mão enquanto outro observa. Há também um coelho preto dentro de uma caixa.
Fonte: Arquivo pessoal

Por Andreia Sousa, Fisioterapeuta Gerontóloga.

Por Andreia Sousa, Fisioterapeuta Gerontóloga.

Você já ouviu falar em Terapia Assistida por Animais (TAA)?

 É um método cientificamente comprovado e que tem como objetivo utilizar o animal de estimação no contato entre humanos e animais.

A TAA é uma intervenção dirigida, sendo um método alternativo para terapeuta, tendo objetivos específicos para cada patologia e faixa etária, onde o animal é especialmente treinado com critérios de comportamento e a saúde é parte integrante do processo de tratamento.

As atividades podem ser realizadas de modo individual ou em grupos, com periodicidade semanal ou quinzenal.

Durante a TAA ocorre produção e liberação do hormônio endorfina no corpo do paciente, que resulta sensação de bem-estar e relaxamento, assim como diminuição na pressão arterial e no nível do hormônio cortisol (DOTTI, 2005). Os benefícios nos pacientes podem ser físicos e mentais, pela inibição da dor e estímulo à memória, assim como sociais, pela oportunidade de comunicação, sensação de segurança, socialização, motivação, aprendizagem e confiança, além de diminuir a solidão e a ansiedade; recuperar a autoestima, desenvolver sentimentos de compaixão e estimular a prática de exercícios (SAN JOAQUÍN, 2002; MORALES, 2005).

Os benefícios das Intervenções Assistidas por Animais, são diversas, por exemplo, com pacientes idosos, podem-se desenvolver atividades como: cuidados com o animal, ajudando o idoso a descentralizar das suas dores e dificuldades e aumentando sua autoestima. O animal ajuda a motivar o sujeito a trabalhar exercícios de memória, atividades motoras e funções cognitivas, mantendo ou devolvendo sua funcionalidade.

Os benefícios vão além dos pacientes, também se beneficiam deste contato, todas as pessoas envolvidas que gostam de animais, como: parentes, cuidadores, profissionais da instituição atendida e até mesmo a própria instituição.

O animal pode ser conduzido pelo voluntário, tutor e/ou profissional. É utilizado como mediador entre os profissionais e/ou voluntários e assistidos e /ou pacientes. Não precisa ser de uma espécie ou raça específica. É importante que seja afetivo, ou seja, goste de outras pessoas e animais, além do seu tutor. Também precisam ter um adestramento básico e estar em dia com vacinação, parasitológico e higiene.

MODALIDADES – Atividade Assistida por Animais (AAA): são atividades recreativas, sem objetivos específicos. Destina-se a melhorias na qualidade de vida de pessoas, proporcionando o bem-estar da relação com o animal.

– Educação Assistida por Animais (EAA): tem objetivos pedagógicos, geralmente realizados por pedagogos e educadores. O animal interage de forma lúdica com objetivo de motivar o indivíduo a adquirir o aprendizado.

-Terapia Assistida por Animais (TAA): destina-se a alcançar com a ajuda do animal os objetivos terapêuticos planejados pelos profissionais da área da saúde, que podem ser Psicólogos, Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais, Médicos, entre outros.

O número de animais terapeutas cresce a cada dia, assim como o número de profissionais e instituições também, difundindo cada vez mais essa prática.

Deixe uma resposta Cancelar resposta