Por Rubens Faria

Quais são as pessoas mais afetadas, como se proteger e o mito do uso da máscara cirúrgica

Fonte: Organização Mundial da Saúde

Com 52 casos confirmados no Brasil, 16 milhões de pessoas ao norte da Itália – ou 25% da população do país – em quarentena e a economia muito afetada pela doença, o Coronavírus (Covid-19) provocou estado emergencial no mundo inteiro. Ele surgiu em dezembro de 2019 na China e em menos de três meses já se espalhou ao redor do globo, pois sua transmissão é muito simples, de três formas:

  • Pelo ar: ele está presente na saliva, no muco (catarro) e nas gotículas que saem pela boca;
  • Por contato: como ele está presente principalmente nas vias respiratórias do paciente, um beijo ou o aperto de uma mão não higienizada podem transmitir o vírus;
  • Por superfície: se um paciente tosse, leva a mão a boca e em seguida toca em algum objeto, esse objeto estará contaminado, pois o vírus sobrevive fora do corpo.

Você pode contrair o novo Coronavírus ao consumir carnes silvestres de animais infectados. 

O Coronavírus é uma espécie conhecida desde a década de 1960. Eles têm formato de coroa e afetam principalmente o sistema respiratório. Você já ouviu falar da Sars ou da Mers? Elas também foram doenças causadas pelo Coronavírus no passado e infectaram um número grande de pessoas. A Sars, inclusive, teve um número de infectados mais alarmante do que o Covid-19 vem apresentando até o momento. 

Quem é afetado e como se proteger 

Então por que o Covid-19 está desestruturando o mundo todo?

Porque é uma doença nova, para a qual nosso sistema imunológico vai ter que ser forte para, à princípio, contê-la (por isso os dois primeiros sintomas são tosse e febre, duas ferramentas do corpo para expelir e matar o vírus), e depois criar anticorpos necessários para destruir o Covid-19. Logo, pessoas que não têm o sistema imunológico forte ou desenvolvido (leia-se, idosos, bebês e pessoas imunodeficientes), sofrem mais ao entrar em contato com o vírus e formam o primeiro grupo de risco. Porém, todas as pessoas estão suscetíveis a contrair e, principalmente, transmitir a doença. 

A melhor forma de se proteger do Covid-19 é fortalecer o seu sistema imunológico para que ele tenha tempo e recursos para cumprir as duas fases de defesas que citamos antes, combate e morte do vírus. Para isso, três regras devem ser observadas com diligência e recorrência, a saber:

  • Praticar exercícios físicos: de acordo com o Globo Esporte, [a prática regular de atividade física moderada promove] “ um aumento das linfócitos, células denominadas ‘natural killers’. A célula natural killer, linfócito atuante no sistema inato, tem como função destruir células tumorais ou infectadas por vírus.” (fonte: https://glo.bo/2TBMrdi);
  • Alimentação: há vitaminas e minerais específicos necessários para nutrir o nosso sistema imunológico. De acordo com uma pesquisa de 2018 da Universidade Federal do Paraná, as principais vitaminas e minerais que fortalecem a nossa imunidade são: Vitaminas A, C, E e ácido fólico, juntamente com os minerais Zinco, Ferro e Selênio (baixe o material da pesquisa aqui: https://bit.ly/2TzEipu). E não é difícil você ingerir esses nutrientes, veja só:
    • 200 ml de suco de laranja, limão ou acerola fornecem mais de 100% da nossa necessidade de vitamina C;
    • Cenoura, mamão e carnes em geral fornecem vitamina A em abundância;
    • Uma colher de sopa cheia de semente de girassol ou abóbora são ricas em vitamina E e zinco;
    • Todos os feijões, lentilhas e grão de bico, além de todos os vegetais verde-escuro como o brócolis, a couve, o espinafre e o aspargo são fontes de ferro e ácido fólico;
    • Uma castanha do pará por dia fornece 100% da nossa necessidade de selênio. 
  • Lave sempre as mãos: tem que lavar as mãos toda hora! Lave as mãos adequadamente e as higienize com álcool próprio para este fim sempre que puder! Aqui não tem segredo, essa atitude simples é primordial e muito eficaz, necessária para o combate de inúmeras infecções, incluindo o Covid-19. Lavando as mãos sempre que possível você se protege, caso não esteja infectado, e protege as outras pessoas de contraírem a infecção. Veja na imagem abaixo como lavar suas mãos adequadamente:
Fonte: Anvisa

Por fim, se você pertence ou convive com um dos grupos-vítima mais afetados, evite ao máximo aglomerações com mais de 100 pessoas. Se torna muito fácil a contaminação por vias aéreas em locais onde você fica a menos de dois metros de outras pessoas. Evite também se aproximar de pessoas nos grupos-vítima caso você tenha viajado recentemente para os continentes mais afetados, como Ásia e Europa.

O mito da máscara

Fonte: Getty Images/ Veja – Abril

Por fim, há cidades na China e na Itália nas quais o estoque das máscaras cirúrgicas esgotou. Pessoas saudáveis, assustadas com o estado de emergência causado pelo Coronavírus, usam a máscara cirúrgica com a ideia de se protegerem da contaminação. Porém, ela não é indicada para esse fim, pelo contrário: a máscara só é eficaz na hora de encarar aglomerações ou para pessoas contaminadas diminuírem a disseminação do vírus, pois ela protege nariz e boca, ou seja, os meios pelos quais o Covid-19 é expelido. É importante que a máscara seja trocada a cada três horas.

Se uma pessoa saudável tocar numa superfície com o vírus, não lavar as mãos e usar o celular, as chances de contágio são altas mesmo com a máscara, pois o celular estará infectado e ela terá muitas chances de levar a mão contaminada à boca e ao nariz sem a máscara, quando estiver em casa por exemplo. 

Por isso, lave suas mãos agora, volte a caminhar e se alimente corretamente para se proteger e proteger aos outros. Se você convive com um idoso ou criança pequena, triplique sua atenção com a higiene! Assim, todos ajudam a controlar a disseminação do vírus, além de outras doenças. 

Já lavou suas mãos?

Deixe uma resposta Cancelar resposta