Por Rubens Faria

No início do século XXI, a maior parte das pessoas idosas era desdentada. A cultura de se remover dentes que ainda poderiam ser restaurados e o difícil acesso a procedimentos odontológicos de qualidade provocavam, ao longo da vida, a substituição de dentes naturais pelas próteses, as famosas dentaduras, chapas e pontes. Contudo, dentes naturais são mais fortes e mais adequados à boca – não precisam de período de adaptação da arcada e não causam lesões às gengivas, bochechas ou língua.

E ter dentes naturais conforme a idade avança significa reduzir significativamente os problemas na saúde bucal acarretados pela idade, pois as lesões provocadas pelo uso de próteses corresponde ao segundo problema bucal mais frequente nessa população. Veja abaixo quais são os outros problemas e dicas de como evitá-los ou tratá-los:

Hipossalivação e xerostomia (boca seca)

A hipossalivação é a diminuição da produção de saliva. Pode acometer pessoas de qualquer idade, mas é mais frequente na população idosa. É comum ter hipossalivação em episódios pontuais e somente representa um problema de saúde quando se torna crônica, pois é comorbidade de doenças autoimunes ou efeito colateral de alguns medicamentos.

Já a xerostomia é a boca seca provocada pela respiração bucal ou pelo ronco e não significa necessariamente um problema de saúde. De qualquer maneira, quando há incômodo, é importante consultar um médico.

Sensibilidade

Outra condição que pode afetar pessoas de todas as idades, mas está relacionada ao passar dos anos.

Uma das características do envelhecimento é a perda de massa óssea, e isso acontece também na cavidade oral. Segundo Cláudio Fortes, odontologista especialista em Saúde Coletiva pela Unigranrio, “esse quadro afeta a cavidade oral a partir do momento que a gengiva se desloca e a dentina (segunda parte do dente) passa a ficar aparente, causando dor ao entrar em contato com alimentos”.

É importante lembrar que a sensibilidade não é a única causa de dor. Ela pode surgir de cáries e inflamações, por isso é importante procurar um especialista.

Problemas em próteses

A perda dos dentes está atrelada a muitos fatores, como acidentes e descuidos na higiene, mas a falta deles atrapalha a mastigação e a fala, além de impactar na autoestima. As próteses devolvem o sorriso e a confiança para essas pessoas. Contudo, uma prótese mal ajustada pode acarretar danos para a saúde global, como lesões na cavidade oral e nos lábios ou estimular a mastigação unilateral, gerando tonicidade muscular.

Para evitar esses problemas, é preciso que seja feita a manutenção periódica da prótese com seu odontologista.

Periodontite

A periodontite é o estágio avançado da gengivite, condição que afeta até 90% da população mundial segundo dados da Organização Mundial de Saúde. Ela é a principal causa da perda dentária, porque depois de anos com a gengiva inflamada, ela começa a afetar o periodonto, tecido que divide os dentes da mandíbula. Após um tempo, os dentes começam a perder estabilidade e, eventualmente, caem.

Seus principais sintomas incluem sangramento gengival, mau hálito, amolecimento dos dentes e inchaço gengival. Muitas vezes pode ser assintomática, dificultando o diagnóstico.

Apesar de ser comorbidades de outras doenças, a saber: diabetes, obesidade, tabagismo, histórico familiar e problemas hormonais, sua principal causa é higiene. Por isso, siga a recomendação profissional para limpar seus dentes e consulte sempre um dentista.

Deixe uma resposta Cancelar resposta