Por Rubens Faria

As baixas temperaturas que atingem o Brasil e fizeram nevar em algumas regiões de Santa Catarina são o resultado de uma onda polar que traz a maior anomalia negativa de frio no mundo fora dos polos, segundo o MetSul, instituto de informação meteorológica do Cone Sul. De acordo com o Instituto, em nenhum outro lugar do planeta as temperaturas estão tão abaixo da média como na parte central da América do Sul. As baixas temperaturas também atingem a Argentina, Uruguai e Paraguai. Nesta terça-feira (29/6), Bom Jardim da Serra registrou -7,5C°, a menor temperatura do ano no Brasil.

Além de favorecer o aumento dos casos de doenças respiratórias, o frio costuma desencadear desconfortos físicos que vão muito além de tremores e calafrios. Nessa época do ano, um número de pessoas também costuma sofrer com a sensação de fortes dores musculares ou nas articulações. “O frio faz com que os nossos músculos e vasos sanguíneos se contraiam para diminuir os efeitos da queda de temperatura. E é justamente essa contração que costuma causar dores musculares e, em alguns casos, problemas de postura. Já as dores nas articulações, muito comuns entre os idosos, são provocadas quando o líquido sinovial – que auxilia a lubrificação das superfícies articulares – se torna mais espesso também em função do resfriamento corporal”, explica o fisiologista Diego Leite de Barros, do Hospital do Coração (HCor).

Para prevenir tais problemas, Barros explica que a melhor opção é não ficar parado. Segundo ele, muitas pessoas deixam de fazer exercícios com a chegada do frio. Porém, manter-se em movimento é justamente a melhor maneira de evitar os desconfortos físicos trazidos por esta época do ano. “Enquanto nos exercitamos, elevamos a nossa temperatura corporal – condição fundamental para a reversão dos processos que causam dores musculares e nas articulações. Além disso, fazemos com que o sangue seja bombeado com mais facilidade para locais onde costumamos ter mais frio – como as mãos e os pés –, o que também ajuda a nos manter aquecidos”, explica.

Para praticar atividade física nessa época do ano, porém, é preciso tomar algumas precauções. Pessoas idosas, sedentárias ou com mobilidade reduzida, por exemplo, devem optar por exercícios mais leves no início, como alongamentos, caminhadas ou, se possível, corridas em ritmo moderado. Pessoas que já praticam algum treino físico, devem continuar as suas atividades normalmente, porém, sem descuidar da hidratação, já que, no inverno, a sensação de sede tende a diminuir. “Em todos esses casos, também é importante fazer o aquecimento apropriado e sempre se agasalhar bem, principalmente, no caso de exercícios feitos ao ar livre. Contudo, é preciso evitar excessos. As roupas escolhidas para atividade física devem sempre favorecer a troca de calor com o ambiente”, recomenda. “Com todos esses cuidados é possível passar pelo inverno com disposição e de maneira ainda mais saudável”, conclui o fisiologista para o Residencial Aurora.

Fontes: HCor/ G1

Deixe uma resposta Cancelar resposta