Edição de Rubens Faria

O processo natural que acompanha o envelhecimento traz características que exigem atenção especial. Nesse sentido, priorizar as atividades cognitivas para pessoas idosas é uma forma segura de minimizar os efeitos dessas mudanças.

Na velhice, o estímulo à realização de exercícios mentais e físicos estão intrinsecamente relacionados à longevidade e à qualidade de vida. Essas práticas resultam em importantes benefícios, como a redução da perda de memória. Entenda por que as atividades cognitivas influenciam diferentes aspectos na terceira idade e confira os benefícios resultantes dessa prática.

A importância das atividades cognitivas para o envelhecimento

A maioria das pessoas tem alguma falha na memória em algum momento da vida. Esses lapsos são normais e podem ocorrer em qualquer idade. Isso acontece porque nosso cérebro está programado para apagar informações menos relevantes, sobretudo aquelas que causam menos impacto emocional.

Durante o envelhecimento, as alterações fisiológicas cruzam com situações que comprometem o trabalho realizado pelos neurônios. A absorção e o processamento das informações ocorrem de forma mais lenta, assim como acontece com o funcionamento dos demais sistemas do organismo. Isso faz com que os esquecimentos sejam mais frequentes na terceira idade.

Porém, os familiares ou cuidadores de idosos devem ficar alertas quando esses episódios de perda da memória se tornarem muito comuns. Quando a frequência compromete a saúde do idoso, está na hora de buscar ajuda profissional.

Nesse contexto, uma forma de proteger o indivíduo dos efeitos negativos da degeneração típica do envelhecimento é a realização de atividades cognitivas. Elas são fundamentais para preservar a saúde mental e física e postergar a autonomia e a independência dos idosos.

As melhores atividades cognitivas para idosos

A função cognitiva está associada à coordenação de diferentes áreas responsáveis pela atividade do cérebro. Essa função é essencial à estabilidade mental, já que possibilita a execução de todas as atividades cotidianas.

Algumas atividades cognitivas são primordiais à continuidade dos processos fisiológicos que ajudam na manutenção da saúde do envelhecimento. Veja quais são!

Ver fotos

Assim como ocorre ao ouvir uma música, olhar fotos ativam lembranças emocionais muito fortes, já que são revestidas de diferentes significados, como lugares, pessoas, sensações e acontecimentos. Um bom treino para a mente é indagar o idoso sobre determinadas fotos: pergunte onde ocorreu, quando e em quais circunstâncias. É um ato simples e um excelente exercício para manter a memória de pessoas com idade avançada bem mais ativa.

Ouvir músicas

O hábito de ouvir músicas todos os dias também é um ótimo exercício para o cérebro, além de prazeroso e eficiente para estimular as funções da memória. Geralmente, as músicas remetem à lembrança de experiências emocionais muito significativas e intensas.

Por isso, estimule o idoso a ouvir música, principalmente aquelas que ele ouvia na juventude ou em ocasiões importantes da vida dele.

Dormir bem

Ao contrário do que se pensa, durante o sono, há atividade intensa de muitos órgãos e sistemas do organismo, sendo a fase que ocorre a reparação de células doentes e a reposição de elementos funcionais que foram gastos durante o dia.

Logo, priorizar a qualidade do sono é imprescindível para que o idoso possibilite o ajuste bioquímico e a estabilização das funções mais importantes de seu corpo, incluindo a memória.

Aprender a usar recursos digitais 

Muitos idosos gostam de jogos de tabuleiros, de cartas ou de plataforma, e todos eles podem ser jogados facilmente em dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Essas atividades são relevantes para ativar o raciocínio e a memória.

Os benefícios dessas atividades para a saúde dos idosos

Ajuda na coordenação motora: a adesão à atividade cognitiva promove aumento das interações que ocorrem entre as áreas cerebrais responsáveis pela coordenação motora.

Reduz os impactos das doenças mentais: tanto as atividades físicas quanto as mentais podem potencializar as funções cognitivas e impulsionar ações que diminuam o desenvolvimento de doenças como o Alzheimer. Outros distúrbios mentais também podem ser retardados por influência da realização de exercícios dessa natureza.

Torna o cérebro mais saudável: a saúde do corpo e da mente são totalmente interligadas. Ou seja, a maioria das atividades cognitivas estimula o estado físico e o emocional simultaneamente. A prática da leitura, o hábito de assistir a filmes ou de preencher palavras cruzadas torna o cérebro mais oxigenado e saudável.

Melhora o controle emocional: entre os benefícios mais importantes das atividades cognitivas, destacam-se a preservação da autonomia e da independência, o envolvimento mais harmônico com a família e maior integração social. Isso eleva o controle emocional, condição fundamental ao bem-estar e à harmonia necessária para viver com mais equilíbrio e saúde.

Fonte: Guardiões de Vidas

Deixe uma resposta Cancelar resposta